O que aprendi com o Bambu Chinês

Devido as suas particularidades, o Bambu Chinês está presente nos provérbios e na sabedoria chinesa como um mestre silencioso, que tem muito a ensinar aos seres humanos Na literatura oriental não são poucas as máximas em que aparecem comparações entre o comportamento humano e o desse tipo de árvore, que suporta as mais inclementes intempéries da natureza de forma humilde e paciente.

Apesar de possuir uma aparência frágil, o bambu é tão durável quanto ao concreto e tão forte quanto ao aço. É uma planta com inúmeras utilidades que beneficiam a vida humana, como a celulose, o álcool, o artesanato, a decoração, a construção civil, a alimentação através de seus brotos, a indústria de móveis e outras serventias que movem e aquecem a economia mundial, principalmente nos países asiáticos como a China e o Japão.

Foto de Walter Mario Stein no Unsplash.jpg
Foto de Walter Mario Stein no Unsplash

A semente do bambu uma vez lançada ao solo leva cinco anos para eclodir da terra e crescer a uma altura, muitas vezes superior a 25 metros, mesmo comprimento de suas raízes. Nesse período, apenas pequenos bulbos brancos aparecem, enquanto as raízes crescem subterraneamente, tanto na forma horizontal, quanto na vertical, consolidando veios complexos que sustentarão futuramente a planta já desenvolvida.

Do tempo cronológico em que o bambu demora a eclodir da terra, obtemos a seguinte lição: quem quer chegar longe, crescer, atingir alturas, deve primeiramente aprofundar suas bases, firmar suas raízes, para assim, poder sustentar o que estará exposto futuramente, no caso do bambu, seu caule e ramos ante as intempéries da natureza, no nosso caso, o entusiasmo e a coragem ao enfrentar as dificuldades e os desafios que se mostram ao longo de nossa caminhada. Além disso, temos nesse acontecimento a lição da paciência e da persistência, agindo sem querer atropelar o tempo, mas construindo nossos sonhos e projetos silenciosamente, mesmo que os resultados não apareçam de imediato.

O Bambu Chinês é duro, mas flexível, tanto que no inverno com o peso da neve ele se curva totalmente resistindo por todo o período dessa estação fria, mas basta o sol aparecer mais intenso no princípio da primavera e derreter o gelo, para que ele se reerga altivamente. Nesse caso, podemos aprender com o bambu, que nada é para sempre, tudo passa e que se for preciso até mesmo nos curvar ante as situações que nos exijam humildade.

A flexibilidade do Bambu Chinês lhe garante permanecer de pé após uma tempestade. Isso ocorre porque ele humildemente se põe na direção imposta, seja por uma brisa suave ou por um vento forte. O bambu não luta contra o vento, apenas o acompanha. Nesse caso, nos mostra o quanto é importante muitas vezes nos dobrarmos, sermos flexíveis e não totalmente rígidos ante alguns caprichos da vida.

A raiz do Bambu Chinês, devido ao tempo que leva para ser consolidada, o mantém firme na superfície, sendo sua base de sustentação, seja qual for a situação enfrentada por ele acima do solo. Assim devemos também valorizar e fortalecer nossos vínculos e raízes familiares, visto que são nossas bases, nossos pontos de partida para a vida, bem como nosso porto seguro.

Foto de Alex Keda no Unsplash.jpg
Foto de Alex Keda no Unsplash

O bambu não é derrotado pelas intempéries do tempo porque tem flexibilidade, uma característica que só ocorre por ele ser internamente vazio. Quanto a nós humanos, se não esvaziarmos nosso interior de todo orgulho e egoísmo, não conseguiremos nos curvar e nem flexionar ante algumas situações impostas pela vida. Se não carregarmos conosco a noção de que nem sempre podemos ganhar e ter razão, e ao invés disso, tentar resistir sem humildade, sem dúvida alguma acabaremos partindo-nos em mil pedaços.

As lições do Bambu Chinês servem para nos situarmos na vida e reconhecermos, principalmente nossos pontos fortes, quanto nossas fragilidades, como também aprendermos a valorizar as coisas simples da vida. Devemos ainda, dar-nos conta de que a aparente fragilidade do bambu some ante a sua humildade, que o (torna) grande e forte, sem impor de forma alguma sua grandiosidade. Pudera, pudéssemos ao menos, absorver algumas das qualidades dessa singular árvore, que tanto tem a ensinar aos homens.


DR Pequeno© Todos os Direitos Reservados ao Escritor Davi Roballo

2 comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.